page up
voltar ao topo
Território

banner sabores do romance

Vila Verde. O nome encanta. A paisagem deslumbra…

Situado a 14 quilómetros a norte da cidade de Braga, o concelho de Vila Verde* integra 58 comunidades, cada uma com o seu carácter identitário bem vincado, a sua autonomia paroquial de longa data e as suas próprias tradições, dotando assim o território de uma grande diversidade.

A maior percentagem da população, que ronda os 50 mil habitantes, é composta por jovens, que asseguram o dinamismo e a veia empreendedora do território.

ponte prado

Rio Cávado, em Vila de Prado com a ponte medieval de Prado.

 

A população ativa de Vila Verde demonstra um misto de simpatia e orgulho na herança cultural do concelho, com uma forte propensão para a abordagem tecnológica. Esta atitude tem alimentado a promoção criativa do ícone identitário local, o Lenço de Namorados, através da marca Namorar Portugal e de outros projetos de suporte empresarial, com o forte estímulo do Município de Vila Verde.

O Instituto Empresarial do Minho, em Soutelo, a Casa do Conhecimento, o Centro de Dinamização Artesanal e a Loja Interativa de Turismo, são alguns dos exemplos que evidenciam quão harmonioso é o casamento entre tradição e inovação, em Vila Verde.

Um território inspirador, com argumentos capazes de prender visitantes e turistas, convencendo-os a uma estadia em que poderão desfrutar do melhor da vida!

Vila Verde, Onde o Amor Acontece!

 

*Com a reforma administrativa, Vila Verde reduziu para 33 as suas 58 freguesias.

love

Gastronomia

Este é um dos fantásticos motivos para vir a Vila Verde, também conhecida como ‘a Capital do Pica no Chão’. Na sua forma mais afamada, o arroz de cabidela, esta iguaria faz salivar os apetites mais aguçados e satisfaz os estômagos mais exigentes. A este soberbo manjar, ao famoso Pica no Chão, junta-se a preceito o Pudim Abade de Priscos, uma das 7 Maravilhas Gastronómicas Nacionais, criada pelo P.e. Machado Rebelo, nado e sepultado em território vilaverdense.

Estes são os protagonistas dos Fins-de-Semana Gastronómicos que duas vezes por ano atraem a Vila Verde muitos apreciadores. Mas estão longe de ser os únicos motivos para se sentar à mesa de alguns dos melhores restaurantes minhotos. Rojões à Moda do Minho, Papas de Sarrabulho, Caldo Verde ou mesmo Arroz de Feijão e ‘Netos’ com Pataniscas são outros petiscos, que, embora frugais, são mais ricos em sabor e antiguidade! A tudo isto, junta-se um concelho com uma pastelaria rica e criativa, que anualmente lança novos doces que fazem a nossa “perdição” : o Doce de Regalados e o Pastel Antonino, são dois belíssimos exemplos da excelência da pastelaria em Vila Verde!

love

Património

Há milhares de anos que o território hoje designado como Vila Verde tem registado uma intensa ocupação humana. Há vestígios de castros, castelos mouriscos, muralhas medievais, mas acima de tudo, há um rico património histórico-religioso. Imperdível uma visita à Ponte de Prado (Vila de Prado) e à Torre de Penegate (Carreiras S. Miguel), à senhorial Casa da Torre (Soutelo), aos raros frescos da igreja Velha (Vila Verde) e ao lendário Fojo do Lobo, armadilha humana criada nas montanhas de Gondomar, de modo a evitar os ataques dos lobos. Não deixe também de percorrer a Via Romana XIX e o Caminho de Santiago, e de visitar as igreja de Coucieiro e Pedregais, os aglomerados rurais da Pequenina (em Casais de Vide, Aboim da Nóbrega) e Nogueira (Gondomar).

Vila Verde

Paisagem de Aboim da Nóbrega, no norte do concelho, num dos trilhos pedestres.


Natureza

Em Vila Verde a Natureza é generosa e, por isso, agarra os nossos sentidos. É impossível ignorar a paisagem arrebatadora, agreste e portentosa a norte; bucólica e romântica a sul. O território é ainda atravessado por vários cursos de água. Os principais são o Rio Cávado, o Rio Homem e o Rio Neiva. Por isso, a prática de desporto em natureza é obrigatória. Nas margens do Cávado, em Vila de Prado, está alocado um dos melhores clubes de canoagem do país, o Clube Náutico de Prado, que tem produzido alguns dos grandes campeões nacionais e até olímpicos, como Emanuel Silva, e tem-se notabilizado na organização de competições internacionais: Campeonato da Europa de Maratona em Canoagem em 2014, Taça do Mundo de Maratona em 2016 e Campeonato do Mundo em 2018! Neste particular, não encontrará melhor sítio melhor para praticar canoagem.

A pé, de bicicleta ou mesmo o cavalo poderá desbravar os segredos, património e recantos naturais de Vila Verde. Aproveite os trilhos da Nóbrega e do Fojo do Lobo para se maravilhar com os atributos das veredas altas do concelho. Se preferir algo mais radical, por exemplo BTT, siga o trilho de Mixões da Serra ou opte pelo percurso Equestre de Vade. Para relaxar, sinta o pulsar do ‘coração’ da sede do concelho, seguindo o percurso ‘urbano’ de S. Paio.

love

Cultura

Em Vila Verde, existem dois núcleos museológicos únicos no país. O Museu do Linho, situado em Marrancos, é o primeiro exclusivamente dedicado a revisitar todos os passos do complexo ciclo do Linho, desde a semente (Linhaça), ao tecido aplicado nas mais variadas funções. O Museu Terras de Regalados, situado em Pico de Regalados, reúne um valioso espólio religioso das antigas freguesias que compunham as extintas Terras de Regalados. A entrada em ambos é gratuita, mediante marcação.

Museu do Linho

Museu do Linho, em Marrancos

 

Eventos e Tradições

Há muito que Vila verde se notabiliza por um conjunto de sólidos e diferenciadores eventos que marcam a agenda anual do concelho. A programação Fevereiro, Mês do Romance, com a Gala Namorar Portugal, começa em Fevereiro, prolongando-se até aos primeiros dias de Março. A Bienal Internacional de Arte Jovem de Vila Verde (Junho/ Julho), que se realiza em anos pares, envolve a sede do concelho num ambiente de euforia artística, começando nas escolas, com A Bienal na Escola (Maio). O mês de Maio é ainda marcado pela visita de Sá de Miranda por Terras de Vila Verde, uma homenagem à histórica personalidade literária que viveu parte da sua vida no concelho. A iniciativa inclui um Jantar de Corte e uma Feira Quinhentista. Junho é dedicado ao santo padroeiro do concelho de Vila Verde, Santo António, celebrando-se as festas concelhias de forma monumental. A partir de agosto dá-se início à Rota das Colheitas, uma maratona em torno dos frutos da terra e das tradições rurais de Vila Verde, que se prolonga até ao final de novembro. O seu expoente máximo é a famosa Festa das Colheitas que se festeja sempre nos primeiros dias de outubro. A par destes eventos marcantes, encontramos as romarias e as festas religiosas que atraem peregrinos de várias zonas do norte: as romarias de Nª. Srª. do Alívio (Soutelo) e de Nª. Srª. do Bom Despacho (Cervães) e a Bênção do Gado, em Santo António de Mixões da Serra são três das mais pitorescas demonstrações de fé e de beleza humana. Momentos imperdíveis que não pode falhar, em Vila Verde.

colheitas

Festa das Colheitas de Vila Verde, o maior evento do norte dedicado à ruralidade.