page up
voltar ao topo
Notícias
Lançada a 1ª Pedra do Centro de Dinamização Artesanal - Aliança Artesanal
Maio 05, 2014

Esta manhã (5 de maio) foi celebrado o lançamento da primeira pedra da obra financiada do futuro Centro de Dinamização Artesanal – Aliança Artesanal. Aqui será a sede da marca Namorar Portugal ao longo dos 365 dias, uma intervenção integrada numa estratégia alargada de valorização do território de Vila Verde e da tradição dos Lenços de Namorados ao nível da região minhota, com impacto nacional e internacional.

O Presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, Dr. António Vilela, lançou hoje de manhã, 5 de maio, a 1ª Pedra do Centro de Dinamização Artesanal, no prolongamento – já iniciado – da estrutura atual da cooperativa Aliança Artesanal.

Na cerimónia protocolar estiveram presentes representantes de entidades oficiais com relevo na concretização este projeto, como o Eng.º João Marrana, em representação da CCDR-N (Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte); a Presidente da Cooperativa Aliança Artesanal e Vereadora do Pelouro da Educação, Cultura e Ação Social, Dr.ª Júlia Fernandes, a Diretora Técnica da Aliança Artesanal, Dr. Paula Isaías, o Presidente da Junta de Freguesia de Vila Verde e Barbudo, José Luís Faria e o Vice Arcipreste de Vila Verde, Padre António Rodrigues.

A primeira pedra da obra, que será recolocada numa posição de destaque no jardim do exterior do Centro de Dinamização Artesanal, possui a forma do coração da logomarca Namorar Portugal e foi alvo principal das atenções. Primeiro recebeu a bênção do Padre António Rodrigues, depois o cimento colocado pelo presidente do Município, pelo representante da CCDR-N, da vereadora da Cultura, da diretora técnica da Aliança Artesanal, do vice arcipreste e do presidente da ACB – Associação Comercial de braga.

Discursos:

“ «Somos pedras da Terra Verde, deste Verde Minho. Através dos tempos, temos vindo a crescer no espaço e na tradição. Procuramos, Olhamos, Guardamos, Estudamos, Crescemos. Fazemos parte da terra, do vento, das sementes e das pedras que rolam nos ribeiros. Somos o tear, a agulha e a linha com que bordamos este Verde Minho. Somos a Aliança Artesanal.»” Estas palavras foram escritas por Conceição Pinheiro, fundadora da Aliança Artesanal. Esta obra deve-se a ela, à bordadeiras e artesãos. Vocês são a referência para Vila Verde”, José Faria, presidente da Junta de Vila Verde e Barbudo.

“Hoje é um dia grande para a cooperativa Aliança Artesanal, um sonho tornado realidade. Há muito que queríamos que este dia chegasse. A Aliança Artesanal foi fundada há 26 anos e a nossa cooperativa precisava de melhores condições, de atualizar-se para estar à altura dos desafios dos novos tempos, para continuar a promover dentro e fora do país os Lenços de Namorados, a marca e os produtos Namorar Portugal. Esta pedra simboliza o nosso coração, os afetos, o carinho e vai ser curioso ver como esta pedra será vista daqui a uns milhões de anos. Esta grande família que é Namorar Portugal, composta pelos seus promotores e todos os que estão envolvidos na sua estratégia de promoção vai passar a ter um ponto de referência, a loja Namorar Portugal, que aqui ficará instalada ao longo dos 365 dias do ano, espaço onde os produtos estarão expostos e poderão ser procurados e comprados, por visitantes e turistas. Temos a certeza que esta obra está a ser realizada com  muito amor, para que fique concluída no menor tempo possível”, Dra. Júlia Fernandes, vereadora responsável pelo Pelouro da educação, Cultura e Ação Social.

“Esta iniciativa integrada no projeto financiado pela PRODER, foi aprovada por trazer mais valor ao mercado. O que é produzido  para conquistar novos públicos. Esta estrutura integra uma estratégia mais abrangente, inserido na região, através do consórcio Minho IN, porque trata-se da valorização de toda a região do Minho, com potencial de conquista de novos mercados, permitindo criar mais emprego. Considero que em boa hora este projeto foi aprovado”, Eng. João Marrana, CCDR-N.

“Deixo para o fim as nossas artesãs, na pessoa da Dona Conceição Piheiro, a quem chamo para se juntar a nós. Com o trabalho destas pessoas simples constroem-se as grandes Terras e Vila Verde tem trabalhado essa grandeza. Vila Verde possui uma notoriedade incrível graças à valorização desta cultura. Não fosse a existência desta cooperativa e nada disto seria possível. Uma palavra de apreço ao Eng. João Marrana, como representante da CCDR-N, por ter acreditado neste projeto, que tem duas componentes: material, com a intervenção neste edifício, e imaterial, de valorização dos Lenços de Namorados e dos produtos de inspirados nos mesmos que assinam a marca Namorar Portugal. Há que ter uma estratégia de marketing e de promoção destes produtos no mercado que está a ser desenvolvida por profissionais. Este projeto insere-se numa estratégia abrangente de revitalização do território que inclui outras estruturas como a loja interativa de turismo, que abre a 12 de maio e que representa uma porta aberta para o mundo conhecer melhor Vila Verde; a casa do Conhecimento, um espaço emblemático em fase de conclusão; a requalificação da Casa da Cultura, que se transformará num Cetro de Cultura e Artes; a Biblioteca Municipal, a sede do Grupo Folclórico de Vila Verde, a antiga Adega Cooperativa que dará lugar à Adega Cultural, e a zona dos antigos armazéns municipais, junto à Adega, que se transformará numa zona privilegiada de comércio associada ao lazer e à natureza. Todos estes projetos foram financiados no âmbito de uma estratégia alargada de valorização”, dr. António Vilela, presidente do Município de Vila Verde.

A obra de reabilitação do edifício da cooperativa Aliança Artesanal é de relevante importância para a promoção do artesanato, especialmente dos Lenços de Namorados, ícone identitário do concelho de Vila Verde, integrando o projeto ‘Centro de Dinamização Artesanal- Aliança Artesanal’, aprovado pelo EEC Provere Minho IN, do Programa Operacional Regional do Norte (ON2), Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, com um investimento de 663.028,80 e comparticipado a 80 por cento.