page up
voltar ao topo
Notícias
COVID-19. Amor em tempo de guerra
Março 23, 2020

São dias confusos. Em que proteger é estar longe e negar o toque é cuidar. Em que familiares e amigos se evitam para garantir que um dia se voltarão a abraçar. Em que a esperança num amanhã melhor é o único alimento para a alma.

O futuro é incerto, as questões multiplicam-se. Quando? Como? E depois, como será? Agora, o futuro não é apenas incerto. É longínquo. Agora, importa agir. Agora, importa unir. Em tempo de guerra, o amor tem outro nome: União. A união de esforços e vontades, sacrifícios e angústias, sonhos e esperanças. Agora, é tempo de união.

É tempo de ficar em casa. De ficar em família. De retardar ao máximo a propagação da pandemia causada pelo novo coronavírus. De ganhar tempo para que o Serviço Nacional de Saúde consiga dar uma resposta eficiente aos casos que tem em mãos. É tempo de agradecer a todos os profissionais que continuam a trabalhar para garantir a vida em sociedade e a todos os cidadãos anónimos que cumprem os deveres decretados pelo estado de emergência.

Mas para agradecer, não bastam palmas. Não chegam palavras. Intenções não são suficientes. São necessários gestos. É preciso agir. Manter o isolamento social, lavar frequentemente as mãos, cumprir as regras de etiqueta respiratória (tossir/espirrar para o braço ou lenço). Seguir as instruções dos profissionais de saúde. Contribuir ativamente para prevenir a propagação do novo coronavírus e com isso salvar vidas. Muitas vidas!

Manter viva a chama da esperança e continuar a acreditar num amanhã melhor. Porque no fim, ontem, hoje e sempre, o amor triunfará!