page up
voltar ao topo
Notícias
O Romance viajou de Vila Verde até ao coração do Porto
Fevereiro 06, 2020

 

No dia 6 de fevereiro, o ‘Mês do Romance’ viveu-se de novo no Espaço Namorar Portugal, com a apresentação da ‘Linha de Chocolates 2020’, da Chocolate com Pimenta, a adoçar a manhã. Já da parte da tarde, o centro da cidade do Porto recebeu duas apresentações de produtos: ‘Alma’ com a bijuteria de Cátia Rascão e a ‘Linha de Sabonetes Namorar Portugal’, por Ana Sampaio.

Os mais gulosos e amantes de chocolate puderam assistir ao lançamento da nova linha da marca Chocolate com Pimenta. Desta vez, Pedro Sousa criou um bombom especial para a época que leva dois recheios: o primeiro é uma infusão de frutos vermelhos (framboesa e mirtilo) e o segundo uma ganache com gengibre e noz moscada.

Para embrulhar os chocolates e dar um presente carinhoso no S. Valentim, foram criadas caixas com corações e azulejos, que podem ser personalizadas na hora e fazer os encantos dos casais apaixonados. O mestre chocolateiro mostrou-se feliz pelo sucesso e revelou que “este ano é o que está a dar mais gozo, com produtos, técnicas e processos diferentes. Tenho tido formação para melhorar cada vez mais”.

O presidente no Município de Vila Verde, António Vilela, esteve presente na sessão e parabenizou a marca pelo “design que agrada ao olho, e ao provar não dececiona, o que é fundamental para o produto crescer e vingar”. O edil afirmou que “ao promover os chocolates está-se a promover a terra e a dinamizar o negócio”, acrescentando que “se correr bem para ele, corre bem para a marca e é isso que desejamos”.

No Porto, de alma e coração

Em dia de ‘Enamorar o Porto’, dois novos lançamentos Namorar Portugal chegaram diretamente ao centro da cidade, ao Porto Welcome Center, junto à Estação de S. Bento. Destaque também para a inauguração de uma exposição de Produtos Namorar Portugal, no mesmo espaço, que ficará patente numa montra privilegiada da Invicta até ao dia 16 de fevereiro. A iniciativa foi abrilhantada pela atuação de um aluno da Academia de Música de Vila Verde.

‘Alma’ assinala a estreia de Cátia Rascão na marca territorial do Município de Vila Verde, com uma linha de bijuteria para embelezar o público feminino e fazer com que o amor dos Lenços de Namorados esteja sempre presente no dia-a-dia.

A criadora de Leiria contou que começou por ser participante assídua no Concurso Internacional de Criadores de Moda – Gala Namorar Portugal e foi aprendendo sozinha a bordar. Além dos bordados inspirados nos motivos dos famosos Lenços da tradição minhota, a linha ‘Alma’ incorpora também outro elemento antigo e tradicional ligado à arte do bordado, os bastidores. “Este ano, decidi arriscar com a proposta de parceria. Criei colares e brincos com linhas brilhantes para serem mais convidativos”, referiu.

A ‘Linha de Sabonetes Namorar Portugal’, de Ana Sampaio, inclui também produtos para bebés, com cores e aromas mais suaves. As propostas passam pelo pote ambientador, uma linha de sabonetes com mensagens de amor e bálsamo labial. Ana Sampaio utiliza “só produtos artesanais, com matéria-prima de excelência, sem químicos nem aromas, é tudo natural” numa coleção que pode ser utilizada por todos, “dos mais pequeninos aos mais velhos”.

O mundo precisa de amor

Presente na sessão, a vereadora da Cultura do Município de Vila Verde, Júlia Fernandes, enalteceu a “paixão à marca que culmina com produtos que vão enriquecer a Namorar Portugal” que contribuem para dinamizar a economia local e nacional. Falou também do objetivo de “promover a nossa tradição, a nossa identidade, e levar aos quatro cantos do planeta estas mensagens de amor, carinho e afeto de que o mundo tanto precisa”.

Numa iniciativa que contou com a colaboração do Turismo do Porto e Norte de Portugal, Inácio Ribeiro, vice-presidente da instituição, afirmou que “é um gosto e uma honra ter cá Vila Verde, a casa é de todo o Norte e está sempre aberta para ajudar a promover territórios, mas, acima de tudo, gentes, dinâmicas, tradições, cultura e a alma”. Terminou louvando a “capacidade criativa dos artistas, de aliar o ancestral ao moderno, à promoção da terra e respeito pela herança cultural”.